sábado, 20 de janeiro de 2018

MARATONA DE DUBAI




Olá, Corredores!

No segundo semestre de 2016 após eu e o Léo termos feito a SP City Marathon, começamos a procurar alguma maratona para o início de 2017, que seria o período das nossas férias. Para nossa grande surpresa, descobrimos Dubai! Inicialmente ficamos muito entusiasmados em conhecer essa cultura tão rica e diferente dos nossos costumes. Por ser um destino totalmente desconhecido para nós, foi preciso muita pesquisa até batermos o martelo. Nossa principal dúvida era com relação ao clima, já que Dubai é conhecida por temperaturas que chegam aos 50 graus, mas por ser inverno na época da Maratona, o clima variou entre 18 a 25 graus, bem agradável para correr.

A Maratona de Dubai acontece em janeiro. A prova contou com um público de 23.886. Além da maratona (2.424 participantes), ocorrem provas de 10k (14.885 participantes) e 4k (6.577 participantes - fun run). A prova é plana e proporciona quebra de recordes.

A viagem é bastante cansativa por ser um lugar distante. Dubai é a maior cidade dos Emirados Árabes Unidos e está localizada ao longo da costa sul do Golfo Pérsico, na Ásia. A cidade é conhecida mundialmente por ser extremamente desenvolvida e por seus enormes arranha-céus e largas avenidas.

Confiram o vídeo: https://youtu.be/dJXg6us7vF8


Pegamos um voo direto e aproximadamente 15 horas de viagem. Chegamos dia 15/01 e a prova ocorreu dia 20, dessa forma, tivemos um tempo de adaptação e também descanso da viagem. Nossa principal preocupação era com relação à alimentação mas logo que chegamos e fomos passear pela cidade, shopping e supermercados, ficamos tranquilos. Lógico que passamos um perrengue em um dos dias que fomos turistar e só paramos as 16h, daí foi difícil achar um restaurante e acabamos comendo uma comida árabe muito temperada que não caiu tão bem. São as emoções da viagem hehe.

Nada melhor que conhecer um lugar correndo não é mesmo? Então, antes mesmo de correr a maratona, nós participamos de um treino no Zabeel Park junto com o NRC Dubai. Conseguimos nos inscrever pelo aplicativo ainda quando estávamos no Brasil, antes de viajar. A galera compareceu em peso (aproximadamente 60 pessoas) no treino Speed Session e foi uma experiência incrível participar do nosso clube por lá. Recomendamos a todos que forem correr a maratona, que participem de um treino do NRC. Não é preciso usar roupa especial (principalmente as mulheres), todos correm com roupa esportiva “normal”.

Turistamos por mais uns dias, até chegar o momento da retirada do kit, na véspera da prova, em um luxuoso hotel. O local é de fácil acesso e organizado, porém simples. Não existe uma expo ou feira com produtos da maratona, apenas um stand vendendo gel de carboidrato, o que torna esse processo da retirada do kit muito rápido.

Nós alugamos um carro para otimizar o tempo dos passeios e por ser bem fácil de andar na cidade. Mas no dia da prova, preferimos usar o metrô. Fomos de carro até o estacionamento de um shopping próximo ao metrô e por ali já encontramos outros corredores que também estavam indo para a largada. Como de costume, chegamos aproximadamente 1h antes, nos concentramos próximo aos demais corredores e ficamos aguardando. Como são poucos participantes, não há empurra-empurra ou filas quilométricas no banheiro (que inclusive é banheiro de verdade e não químico). Seguimos juntos para a largada, nos despedimos e cada um partiu em direção à conquista do seu objetivo.

A prova é plana, com asfalto liso e perfeito para correr. Eu comecei bem, porém com cautela até me adaptar ao ritmo que deveria manter para alcançar meu RP. O suporte e organização são excelentes, pontos de hidratação (em garrafinhas) a cada 2,5km desde o km 5 até o 40, isotônicos, assistência médica e banheiros a cada 5km. Fui vendo a prova passar muito rápido e não queria que acabasse. Estava concentrada em quebrar meu recorde e me divertir ao mesmo tempo. Filmei e tirei fotos em muitos lugares bonitos do percurso (como as mesquitas) dancei música árabe que estava tocando em um dos pontos de hidratação e fiz bagunça com a torcida que é pequena, mas se faz presente em muitos pontos ao longo do trajeto. Por volta do km 28, comecei a sentir muita sede. Acho que nesse momento meu corpo finalmente deu sinal que não estava aguentando o clima seco do deserto. Por causa da sede, passei a tomar a garrafa inteira de água nos postos de hidratação o que me fez parar para ir ao banheiro (coisa que aconteceu pela primeira vez, na minha sexta maratona). Não há nenhuma grande atração ou bandas durante a prova. Fora o contratempo do pit stop, tudo correu bem, conquistei meu objetivo e fui ao encontro do Leo.

Logo o encontrei, a princípio tomei um susto por ele ter se sentido um pouco mal e ter ficado me esperando no posto médico. Assim que o mal estar dele passou, ficamos um tempo na chegada comemorando e tirando fotos com luxuoso hotel Burj Al Arab ao fundo.

Visitar Dubai é uma experiência totalmente exótica e correr uma maratona no deserto torna a viagem ainda mais enriquecedora. Nós aproveitamos demais a viagem e visitamos praticamente todos os pontos turísticos que são lindos! As praias de águas cristalinas e mornas, o Dubai Miracle Garden (um jardim gigante) a palmeira Jumeirah, a maior pista de ski indoor do mundo, o Burj Khalifa (prédio mais alto do mundo), o safari no deserto em um veículo 4x4 com direito jantar e andar no camelo, vários shoppings gigantes e muito luxuosos. Aproveitamos também para ir até Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes que fica a 1h30 de carro, conhecer o parque da Ferrari onde tem a montanha russa mais rápida do mundo e a inesquecível e espetacular Mesquita de mármore e decorada com ouro e cristais, “Sheik Zayed”

Texto por: Roberta Ruiz (@betacbjr)


Nenhum comentário:

Postar um comentário